Doadores de sangue pagam meia entrada no Espírito Santo

11 set

Ontem, enquanto escrevia sobre a meia entrada para jornalistas em Vitória, lembrei que já tinha ouvido alguém comentar sobre o mesmo direito para doadores de sangue. Eis o resultado da pesquisa:

No Espírito Santo, a Lei Estadual 7.737 (veja a íntegra) está em vigor desde de 2004 e assegura a meia entrada “para doadores regulares de sangue, em todos os locais públicos de cultura, esporte e lazer mantidos pelas entidades e órgãos das administrações direta e indireta do Estado do Espírito Santo”. Em todo o Estado!!!

De acordo com a lei, não pode haver restrição de data e horário. Basta ser registrado no hemocentro ou nos bancos de sangue dos hospitais e solicitar a carteirinha de doador expedida pela Secretaria da Saúde.

Os locais públicos descritos são os teatros, os museus, os cinemas, os circos, as feiras, as exposições zoológicas, os parques, os pontos turísticos, os estádios e congêneres.

A validade dessa lei chegou a ser questionada no Supremo Tribunal Federal, mas a Corte reconheceu a constitucionalidade da norma por incentivar as doações. Ponto para os cidadãos!!!

Mais informações sobre doação de sangue: Hemoes.

Anúncios

Jornalistas e radialistas pagam meia entrada em Vitória (ES)

11 set

Não vou entrar aqui na discussão se o benefício da meia entrada para jornalistas é justo etc. Em Vitória, no Espírito Santo, está em vigor, desde 2004, uma lei que garante o “pagamento de 50% do valor realmente cobrado pelo ingresso nas casas de eventos, praças desportivas e similares, aos radialistas e jornalistas“.

Basta apresentar a carteira de jornalista, registro profissional ou documento válido que confirme o exercício da atividade.

De acordo com a Lei Municipal 6.217 (veja e imprima uma cópia aqui), “casas de eventos” são todos os estabelecimentos que realizam “espetáculos musicais, artísticos, circenses, teatrais, cinematográficos, atividades sociais, recreativas e quaisquer outras que proporcionem lazer e entretenimento”.

O pessoal comenta tanto dos descontos conseguidos na Europa com a carteira de jornalista.

Então, tem aqui também, pertinho…

Dicas de presentes para estrangeiros

9 set

Vai para o exterior e não sabe o que levar de presente para um gringo?

Passei por esse dilema há algumas semanas e acabei encontrando uma séeeerie de boas idéias de lembrancinhas que os estrangeiros vão adorar. Graças à preciosa contribuição da minha irmã superfine e do meu amado americano, vi e comprovei que é possível não gastar muito e dar presentes legais.

Cada vez que se faz uma viagem para uma mesma região, aumenta o número de amigos e de pessoas queridas aos quais gostaríamos de prestar uma graciosa homenagem. Claro que sempre tem aquelas pessoas que vão ganhar um preseeente de verdade, mas como não tenho uma renda “diferenciada”, muito mais que a intenção, vale investir no carinho e no cuidado da lembrança.

Se você mora em Belo Horizonte, a Feira Hippie da Afonso Pena é o lugar certo para fazer compras sem gastar muito. Não se esqueça de pedir desconto…

Vamos às dicas:

– Sabonetes e produtos da Natura ou do Boticário com essências e perfumes da flora brasileira – Comprei algumas caixas de sabonetes, envolvemos um a um no plástico filme e embalamos novamente cada sabonete com uma toalha de rosto (diversas cores combinando) e um lindo laço marrom dourado. Ficou ótimo – e menos de R$ 10 cada kit pronto!

– DVDs e CDs de MPB e samba – Há algum tempo achei uns DVDs de shows de Toquinho, Vinícius e Tom Jobim em promoção nas Lojas Americanas por R$ 10. Também é possível encontrar CDs bacanas e coletâneas a preços bem convidativos nessas lojas de departamento e livrarias. Só tem que ter paciência para procurar e, em casa, dar um lindo e carinhoso laço de fita (tenha um rolo de fita de tafetá. É bem útil!)

– Sandálias Havaianas – Encontrei em promoção numa farmácia. Fique de olho!!! E não se esqueça de perguntar antes a numeração do presenteado.

– Chocolates Garoto, Doce de Leite, Goiabada, Mariola, Cocada, Pé-de-moleque e Quebra Queixo – Uma visita a uma distribuidora de doces pode render uns pequenos e deliciosos kits de gostosuras nacionais em barrinhas. Finalize com um laço! 😉

– Camisas de futebol, de paisagens ou monumentos – Procure as peças em promoção dessas lojas bacanas. Comprei umas na Camisa F.C.. Mais uma vez é importante saber exatamente para quem vai o presente.

– Colares, brincos e pulseiras de madeira, sementes, capim dourado, pedras ou miçangas

– Prendedores de cabelo, pauzinhos e artesanato com coco

– Pedras semipreciosas daquelas que dá para fazer anéis, pingentes – Na feirinha de BH tem pingentes prontos.

– Artesanatos para pendurar chaves, pesos de papel, marcadores de livros temáticos

– Chaveiros com motivos nacionais

– Bolsas e sacolas ecológicas

– Livros e revistas com imagens lindas do Brasil – um livro com receitas típicas também é uma boa pedida

– Cappuccino Três Corações – recebi esse pedido…

Algumas das ideias desta lista foram tiradas do blog Saia pelo Mundo: aqui, aqui e aqui. Se tiver mais sugestões para completar a lista, compatilhe!

Buscador de Seguro Viagem Internacional

8 set

Na procura por um seguro viagem internacional para os Estados Unidos bom e barato, encontrei o site Real Seguro Viagem, que funciona como um buscador de diversas companhias seguradoras.

Prático, o site oferece várias opções e é possível comparar as vantagens entre as coberturas. Como a gente não contrata seguro esperando que algo ruim aconteça, contratei um plano básico, menos de R$ 100 para 15 dias. Na comparação de preços, fiquei com um da “My Assistance”.

No meu caso, verifiquei apenas se havia atendimento médico no hotel, pois já ouvi de uma colega que precisou do seguro viagem que isso é uma grande vantagem. Imagine você com aqueeeele piriri, em outro país, e tendo que procurar um posto de atendimento?

Ôoo situaçãozinha difícil!

Ouro Preto: riquezas históricas e um delicioso PF por R$ 5

2 set

Quando alguém disser que Ouro Preto (MG) só tem ladeira, acredite! De verdade! Morros e ladeiras de paralelepípedo escorregadio. Não consigo imaginar a habilidade necessária para uma mulher se manter num elegante salto sem virar o pé e cair ou mesmo o nível de equilíbrio para que um bêbado não saia rolando rua abaixo.

Depois de um café caprichado no Brumas Hostel, com direito a um pão de canela divino, caminhei por algumas das igrejas históricas e obras de Aleijadinho. A cidade é linda, um museu a céu aberto que exala história do Brasil. Vale uma visita, nem que seja numa única manhã antes de uma prova de concurso.

Sem tempo, só vi as igrejas por fora mesmo, com a felicidade de ter encontrado um capixaba que me serviu de guia e companhia.

Mas um pedacinho delicioso do passeio foi o almoço. Um PF, Prato Feito mesmo, num pequeno restaurante na descida da ladeira do Hostel.

Feijão preto batido, arroz, angu, carne de panela, couve refogada na hora e salada. Comida mineira, caseira, saudável, saborosa, daquelas que parecem ter sido feitas pela mãe ou avó… PF também é patrimônio histórico e cultural do Brasil!!! Sem contar o atendimento que me fez sentir em casa de amigos.

Melhor ainda: tudo isso por apenas R$ 5!

Se estiver por lá, deixe a frescura e o preconceito de lado e experimente o PF. Você vai comer bem, bastante e gastando pouco.

Depois de andar e comer tanto, o difícil mesmo foi ficar acordada durante a prova, no início da tarde. Tudo certo no final.

Quantas igrejas tem aí? Tem certeza?

Como andar de ônibus em Vitória (ES)

31 ago

Vai circular somente na Capital do Espírito Santo? Se seu destino é Vitória, seguem as orientações básicas de funcionamento do sistema de transporte urbano.

Os ônibus de Vitória são os “verdinhos”, com tarifa de R$ 2,20 para os veículos comuns e de R$ 2,30 para os seletivos municipais (com ar condicionado). O embarque é feito pela porta dianteira tanto nos ônibus grandes, com trocador, quanto nos micro-ônibus, nos quais o próprio motorista cobra o valor da passagem.

A cidade tinha, até o ano passado, o maior PIB per capita do país entre as capitais. Isso representa uma considerável concentração de riqueza, mais carros, menos pessoas utilizando o transporte… Há bem menos gente nos ônibus de Vitória que nas linhas intermunicipais do Transcol – já falei aqui sobre como andar de ônibus na Grande Vitória e, aqui, sobre os seletivos intermunicipais.

Por outro lado, os congestionamentos são crescentes e é natural a falta de vagas nas ruas para estacionamentos. Mais um bom motivo para evitar, se possível, o uso de carro na cidade.

A Prefeitura de Vitória disponibiliza excelentes informações do transporte público pelo site com um diferencial: você consegue até saber quanto tempo falta para seu ônibus passar no ponto, pelo sistema Ponto Vitória. Todos os ônibus da Capital são monitorados por satélite e essas informações são enviadas para um computador central que faz esses cálculos com base nos dados de localização e velocidade. Programe-se para estar no ponto com pelo menos uns cinco minutos de antecedência, pois, como se trata de uma previsão, pode haver uma margem de erro de cinco minutos para mais ou para menos.

Pela página de Itinerários, é possível saber que ônibus tomar para chegar numa determinada rua fornecendo informações do logradouro de origem e de chegada.

Como andar de ônibus na Grande Vitória (ES) – Seletivos

30 ago

Como o próprio nome diz, a Grande Vitória, no Espírito Santo, tem um sistema de transporte público “diferenciado”: o Seletivo. São ônibus executivos com ar condicionado, poltronas confortáveis e reclináveis e, às vezes, até som ambiente (mas torça para o motorista não ser fã de funk ou de pagode). Tem gente que chama o Seletivo de “frescão”…

Na última postagem contei um pouco sobre o Sistema Transcol de transporte público de massa, com tarifa de R$ 2,30. Diferentemente do Transcol, o Seletivo não tem sistema de integração por terminais. Cada linha tem como origem um dos cinco municípios da região metropolitana e a cidade deVitória como destino.

As passagens do Seletivo variam de R$ 3,40, para linhas que realizam trajetos para Vila Velha, Cariacica, Viana; R$ 3,90 para Jacaraípe, Nova Almeida (Serra) e Praia Grande (Fundão); e R$ 3,70 para os demais bairros da Serra.

Apesar de ser mais caro, o Seletivo tem lá seus benefícios, ao menos para quem mora num desses destinos e trabalha na Capital. Sou usuária desse sistema e gasto, em média, 1h30 para chegar ao trabalho. Mais ou menos tempo, dependendo do trânsito. Uma viagem todos os dias.

Entre as vantagens estão o ar condicionado, o que evita chegar ao destino quente ou suada; o fato de não parar e ter que descer em terminais para esperar outro ônibus; e mais conforto para ler, dormir, ouvir algo nos próprios fones ou mesmo suportar o engarrafamento nos horários de pico. Mas mesmo nos Seletivos há superlotação em alguns horários pela manhã e no final da tarde.

O lado ruim é que essas linhas têm itinerários imeeeeensos, dão muitas voltas nos bairros e nem sempre os motoristas conseguem cumprir a tabela de horários. Assim, o Transcol pode ser bem mais rápido, especialmente se estiverem em circulação ônibus expressos.

Para um Viajante de Classe Econômica, os Seletivos são uma ótima opção para sair do Aeroporto ou da Rodoviária de Vitória com variados destinos, especialmente a Serra. Essas linhas também costumam ser usadas dentro de Vitória, por quem tem pressa de sair da Reta da Penha para o Shopping Vitória ou a avenida Beira Mar.

Horários e itinerários dos seletivos

Espero ter ajudado…

Como andar de ônibus na Grande Vitória (ES)

29 ago

Todo Viajante de Classe Econômica precisa saber tirar proveito do sistema de transporte público em seus destinos. Mas nem sempre é fácil ou possível encontrar informações acessíveis ou alguém disposto a explicar o “caminho das pedras” do funcionamento de ônibus e afins.

A Região Metropolitana da Grande Vitória, no Espírito Santo, tem um sistema de transporte público muitíssimo interessante baseado em terminais urbanos. Com uma tarifa de R$ 2,30, de segunda a sábado, ou R$ 2,oo, aos domingos, é possível percorrer até seis municípios: Vitória, Serra, Vila Velha, Cariacica, Fundão e Viana. Sim, pagando somente uma passagem!

Primeira informação importante do Sistema Transcol: o embarque de passageiros é feito pela frente!!!

Uma vez no ônibus, você só pagará outra tarifa caso desça fora de um dos terminais. Por exemplo: se estiver na Fábrica de Chocolates Garoto, na Glória, em Vila Velha, e quiser ir para a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) ou para o Aeroporto de Vitória, em Goiabeiras, basta embarcar num ônibus com destino ao Terminal de Vila Velha. Ou, neste caso, poderia ser também o 507, com destino ao Terminal de Laranjeiras, na Serra, que passa em frente ao campus.

Caso embarque para o Terminal de Vila Velha, deverá descer lá e pedir informações. Há diversas opções de linhas com destino a outros terminais, como o de Laranjeiras, de Carapina ou o Terminal de Jacaraípe, cujos itinerários contemplam as principais vias de Vitória e região. Atenção: uma vez dentro dos terminais, o acesso aos ônibus é feito pelas portas traseiras!

Essas linhas que interligam um terminal ao outro são chamadas de troncais. Dos terminais também saem as linhas alimentadoras, que seguem para o interior dos bairros.

Segunda informação importante: dentro do terminal há pontos definidos para as linhas. Por isso, não precisa acionar o sinal para descer ou, na fila de espera, gesticular ou acenar com a mão para o ônibus parar. Os coletivos vão sempre parar! “Micos” de quem é de fora…

No município da Serra, os terminais estão localizados em Jacaraípe; Laranjeiras e Carapina.

Em Vila Velha há os terminais de Vila Velha; de Itaparica; São Torquato e o Terminal do Ibes.

Cariacica tem os terminais de Itacibá; Campo Grande e Jardim América.

Vitória não tem terminal. Em compensação, quase todos os ônibus urbanos com destino a cidades diferentes passam pela Capital.

Terceira e não menos importante dica: capixabas não conhecem nomes de ruas e avenidas, com raríssimas exceções. O Espírito Santo tem muitos moradores de fora do Estado, que sabem menos ainda. A sinalização por aqui também não ajuda. Então procure saber, além do endereço, se a rua é conhecida por algum outro nome e consiga o maior número de referências possível. É bem mais simples e seguro conseguir informações corretas de direcionamentos com base em referências próximas ao seu destino, seja uma igreja, um supermercado, lojas, restaurantes, prédios públicos etc. Anote também os números dos ônibus que for usar.

Se por um lado o Transcol consegue atender a toda a Grande Vitória, por outro a grande demanda gera superlotação nos horários de pico. Portanto, se possível, procure horários alternativos.

Veja aqui os horários e itinerários dos ônibus da Grande Vitória

Veja também: Como andar de ônibus em Vitória (ES)

Como andar de ônibus na Grande Vitória (ES) – Seletivos

De Nova York para Boston por apenas US$ 1

27 ago

Imagine fazer uma viagem de uns 350 km pagando apenas um dólar! Menos de R$ 2!!!

Fora uma ou outra passagem aéra nacional, nunca consegui uma promoção como essa antes. Daqui a aproximadamente um mês farei nova visita a parentes e amigos nos Estados Unidos e estava procurando a melhor forma de me deslocar entre New York e Boston. A melhor e mais em conta, claro.

Quer um pouco mais de aventura?

Passagens aéreas lá, pelo que pesquisei, são tão caras como as nossas. Há trens e até trem bala, mas também com valores bem salgados. Tinha ouvido falar de umas empresas de ônibus em Chinatown, especialmente a Fung Wah – cujo nome significa “vento magnífico”-, mas achei aventura demais para o casal de tios que estará comigo. Dizem que a Fung Wah é a opção mais rápida, mais barata (US$ 15) e também mais emocionante. Os ônibus são simples.

Em busca de um pouco mais de conforto, cheguei até a Bolt Bus, que promete mais espaço para as pernas, internet wi-fi gratuita em todos os ônibus, reserva de poltronas e até tomadas para ligar equipamentos eletrônicos. Inicialmente, as passagens pareceram mais caras, mas nem tanto (US$ 17,50). Porém o valor pode aumentar de acordo com o horário escolhido.

A Bolt Bus anuncia ao menos uma passagem a US$ 1 por ônibus, cuja compra, obviamente, precisa ser feita com antecedência. Minha surpresa foi que, ao comprar três passagens, uma delas saiu por um dólar. Com isso, meus tios e eu vamos gastar somente US$ 36 nesta viagem. Algo próximo de R$ 20 para cada um. Um excelente negócio.

A expectativa é de uma viagem de 4h30, incluindo uma parada de 10 minutos. Depois contarei a experiência.

Além de Boston, a Bolt Bus também oferece viagens para Baltimore, Greenbelt, Newark, Cherry Hill, Philadelfia e Washington.

Bolt Bus: viagem barata com internet gratuita